WordPress Lento? Acelere-o!

16 de Março, 2017

Informática, Open-Source, PHP, Programação, Servidores, Software, Wordpress

O seu site ou blog WordPress está lento? Neste artigo resumo as nove questões mais relevantes sobre a performance de sites baseados em WordPress. Não é muito difícil de acelerar o WordPress para isso basta ter atenção ao seguinte:

  1. Atualizações do WordPress, Temas e Plugin;
  2. Temas Gratuitos, Comprados e Pré-feitos;
  3. Alojamento Web, Rápido;
  4. Plugins de Caching;
  5. Ligar o OPcache;
  6. Utilização de Plugins;
  7. Versão do PHP;
  8. Otimizar Imagens;
  9. Teste o Site;

1. Atualizações do WordPress, Temas e Plugins

Manter o WordPress, temas e plugins atualizados é essencial para garantir que o seu WordPress é rápido. Ter alguma destas coisas desatualizadas pode levar a incompatibilidades e erros com as restantes bem como falhas de segurança graves.

2. Temas Gratuitos, Comprados e Pré-Feitos

É preciso ter atenção na hora de instalar um tema. Normalmente comprados / pré-feitos de baixo custo como 15-50€ não privilegiam a performance do WordPress. É muito raro encontrar temas a estes preços que respeitem as guidelines de desenvolvimento do WordPress / tenham elevada performance porque é necessário um grande número de horas de programação para criar um tema rápido.

Os temas construídos à medida, para o seu site, têm diversas vantagens e deverão ser preferidos aos pré-feitos:

  • Site único: se adquirir um tema pré-feito é garantido que existirão centenas de outros sites na internet com o mesmo aspeto visual, isto prejudica a sua credibilidade e os seus resultados;
  • Melhores resultados: já que é mais apropriado às suas necessidades os resultados a nível de visitas, vendas etc. serão superiores;
  • Maior performance: grande parte dos temas pré-feitos têm muitas opções que lhe permitem modificar o aspeto e comportamento do site com alguns cliques. Isto pode ser rápido mas prejudica bastante o arranque do WordPress e o seu site ficará bastante lento.

Encomendar um site a uma agência de publicidade, um designer freelancer etc. a quem que criou a imagem da sua marca poderá resultar num site bastante lento. A grande maioria das agências e designers freelancer não têm as capacidades técnicas para desenhar e desenvolver um tema para WordPress à sua medida e acabam por utilizar temas pré-feitos que personalizam de seguida. Como são temas pré-feitos aplicam-se os problemas acima descritos. Prefira sempre alguém especializado no desenvolvimento web ou com formação especializada na área da programação para a Web — será bastante mais barato e os resultados serão superiores.

Para perceber a qualidade do código do seu site e do seu serviço de alojamento web poderá testa-lo com as ferramentas apresentadas no último ponto deste artigo — 9. Teste o Seu Site.

3. Alojamento Web Rápido

O alojamento web é um dos componentes mais importantes para ter um WordPress rápido. Existem muitos serviços de alojamento web com diferentes características como espaço, número de domínios e contas de email etc. porém o mais importante são os recursos disponíveis em termos de processador e memória como estão distribuídos. Resumo os serviços mais comuns onde podemos alojar um site WordPress:

  • Alojamento Web Clássico: os clássicos serviços de alojamento Web normalmente fornecidos com o painel de controlo cPanel. O grande problema destes serviços é que o processador e memória do servidor são partilhados entre diversos clientes e basta um ter um site que consuma todos os recursos que os restantes ficam offline ou extremamente lentos;
  • Alojamento Web Cloud: a nova geração de alojamento Web fornecida através de uma combinação de CloudLinux + cPanel. Nestes serviços cada website / cliente tem uma percentagem dos recursos do servidor atribuída e não os poderá exceder, assim cada cliente tem sempre processador e memória garantidos para que os seus sites WordPress sejam rápidos;
  • Servidor Virtual Privado: destinado a sites com muito tráfego e a solução mais exigentes, neste caso o cliente tem um servidor próprio para o seu site. Na grande maioria dos casos isto não se justifica pois requer acompanhamento constante de um técnico especializado para gerir o servidor, atualizar o software etc. O alojamento Web Cloud para WordPress é mais barato e tem todas as vantagens e a mesma performance de um servidor virtual privado sem ser necessário contratar um técnico para fazer a gestão.

O que é necessário num alojamento web cloud para ter um site WordPress rápido?

  • Site com poucas visitas é recomendável plano com pelo menos 512MB de memória RAM. Qualquer valor abaixo disto será sempre bastante lento. Exemplo: plano “Standard” da iKlive.
  • Site com tráfego diário moderado recomenda-se 1GB de memória RAM, por exemplo o plano “Profissional”.
  • Loja online WordPress + WooCommerce, já que este plugin é bastante pesado, devido à quantidade de funcionalidades que acrescenta ao WordPress, é recomendável um serviço de alojamento web cloud de alta performance com pelo menos 1GB de memória RAM. Como exemplo de planos apropriados destaco o plano de “Alta Capacidade”.

Os serviços de alojamento web são caros?

Pense no seguinte: nos dias de hoje a presença on-line é fundamental para o sucesso de qualquer negócio. Se tem um blog ou site certamente deseja ter o maior número de visitas possível para conseguir ganhar mais com publicidade ou vender mais produtos e serviços — sem um alojamento de qualidade nada disto é possível.

Segundo um engenheiro da Google, entrevistado pelo New York Times, todos os milissegundos contam, um site lento afasta os seus visitantes / potenciais clientes o que reduz as suas oportunidades.

Se o seu WordPress é uma das suas principais fontes de rendimento não será um bom investimento um serviço de alojamento web, rápido, que custa por exemplo 7€/mês. Porquê arriscar perder visitantes?

4. Plugins de Caching

Estes plugins prometem acelerar o seu WordPress reduzindo a quantidade de processador e memória utilizados já que evitam que o WordPress tenha de “construir” as páginas em cada pedido. Isto funciona bem na maioria das situações, no entanto existem soluções melhores.

Se o seu alojamento web suportar OPcache e cache de MySQL a performance do seu WordPress será bastante superior ao de um plugin de caching como o W3 Total Cache ou WP Super Cache. O OPcache é uma tecnologia a nível do servidor que guarda cópias em memória das páginas o que significa que o site será muito rápido a abrir.

Porquê preferir OPcache ao W3 Total Cache ou WP Super Cache? A escolha prende-se com o facto de a memória virtual do servidor ser sempre mais rápida do que o seu disco. Os plugins de caching aumentam bastante a utilização do disco do servidor e isto poderá até gerar erros caso ultrapasse o limite imposto pelo CloudLinux.

Porque não utilizar ambos? Porque o OPcache substituir por completo a funcionalidade do W3 Total Cache e ao tentar ligar os dois estarão ambos a tentar fazer o mesmo. Isto prejudica o seu site porque irá gastar bastante memória e utilizar o disco de forma intensiva resultando numa performance pior do que só utilizar umas das soluções. O OPcache será sempre mais rápido que os restantes plugins e, por isto, deve ser sempre utilizado.

5. Ligar o OPcache

OPcache é uma tecnologia que tem bastante potencial para acelerar o seu WordPress. Caso o seu alojamento web suporte esta tecnologia deverá ativá-la da seguinte forma:

  1. Aceda ao painel de controlo cPanel com os dados indicados quando adquiriu o serviço;
  2. Procure a opção “Select PHP Version”:
  3. Carregue o OPcache seguindo os passos:
  4. Ative o OPcache seguinte os passos:

Após ativar o OPcache o seu WordPress ficará bastante mais rápido. Caso não encontre as opções apresentadas no painel de controlo do seu serviço de alojamento web, deverá considerar mudar para outro.

6. Utilização de Plugins

Qualquer plugin terá um impacto na performance do WordPress, isto acontece porque os plugins atrasam o arranque ao carregar as suas funcionalidades. É importante ter atenção ao seguinte:

  • Utilizar apenas os plugins necessários: devem ser removidos quaisquer plugins que não sejam estritamente necessários para evitar que atrasem a abertura das páginas;
  • Remover plugins de caching e preferir OPcache: os plugins de caching como o W3 Total Cache ou WP Super cache são lentos comparativamente a um servidor equipamento e com o OPCache ligado. Migre para um alojamento web cloud com OPcache e ligue-o;
  • Promessas: grande parte dos plugins que prometem maior segurança, deteção de intrusões e velocidade não são realmente necessários. Estes plugins até podem funcionar, mas por exemplo, se o WordPress tiver devidamente atualizado e o tema for bem construído um plugin relacionado com a segurança não terá qualquer utilidade. Se o servidor tiver OPcache um plugin como o W3 Super Cache não será útil. Estes não devem ser instalados porque o impacto na velocidade do WordPress será maior do que o benefício ganho.
  • Funcionalidades: grande parte das funcionalidades oferecidas pelos plugins como SEO, Google Analytics etc. devem ser incluídas no tema escolhido e não introduzidas por um plugin. Ao introduzir estas funcionalidade no tema o seu WordPress ficará muito mais rápido e os resultados serão melhores.

Existem também diversos plugins, que na minha experiência, podem causam problemas de performance:

Todas as funcionalidades que os plugins anteriores disponibilizam devem ser integradas no seu tema por um programador / empresa especializada na criação de soluções Web. Algumas das funcionalidades como o SEO são fornecidas pelo próprio WordPress e na maioria dos casos não será preciso mais nada.

Se realmente quiser utilizar um destes plugins / não for possível incluir as suas funcionalidades no tema, será necessário um plano de alojamento web cloud de alta performance com pelo menos 1GB de memória RAM como por exemplo o “Profissional” da iKlive.

7. Versão do PHP

Utilizar a última versão do PHP, a 7 ou 7.1, aumenta drasticamente a velocidade do seu WordPress comparativamente a versões anteriores como a 5 ou 6. Verifique se o seu alojamento suporta PHP 7+ e ative-o. Por exemplo, nos serviços de Alojamento Web Cloud da iKlive poderá fazê-lo no cPanel desta forma:

  1. Aceda ao painel de controlo cPanel com os dados indicados quando adquiriu o serviço;
  2. Procure a opção “Select PHP Version”:
  3. Selecionar a versão mais recente na lista e clicar em “Set as current”:

Caso não encontre esta opção no painel de controlo do seu serviço de alojamento web, ou não esteja já a utilizar PHP 7 deverá considerar mudar de serviço. Utilizar a última versão do PHP é crucial.

Nota: se depois de ativar o PHP 7 o seu site não funcionar ou apresentar erros é porque o seu tema ou algum plugin não está atualizado ou não suporta a última versão do PHP. Considere atualizar tudo e caso não exista suporte troque o tema ou plugin por outro mais moderno. Em último caso poderá contratar um programador ou o suporte técnico do tema para resolver o problema.

Nota 2: se ligou o OPcache, após alterar a versão do PHP terá de o desligar e voltar a ligar como indicado anteriormente.

8. Otimizar Imagens

As imagens são uma parte bastante importante do seu site e devem ser otimizadas de forma apropriada. Imaginemos que, num artigo, coloca 5 fotografias tiradas com o seu telemóvel, facilmente estas terão 2.5 MB cada uma totalizando 12.5 MB. Uma página com este tamanho é impossível de ser carregada num dispositivo móvel e mesmo numa ligação à internet fixa irá demorar a abrir. Imaginemos agora que temos 10 pessoas a tentar abrir a página em simultâneo, isto irá totalizar 125 MB de tráfego — uma situação incomportável porque o seu site ficará extremamente lento.

Enviar as imagens para o WordPress não é o suficiente, deverá seguir os seguintes passos para evitar o problema acima descrito:

  1. Descobrir o tamanho ideal, em pixeis, para as suas imagens: normalmente é a largura do conteúdo do seu blog (ex. 800px, 1000px);
  2. Reduzir: abrir as imagens num software de edição de imagem e alterar a sua largura para o tamanho acima definido;
  3. Exportar as imagens: utilizando a opção “Salvar para Web” ou semelhante no formato JPEG. Deverá também modificar a opção “qualidade” para um valor entre 85% a 95%. Esta redução de qualidade não será percetível ao olho humano e irá reduzir bastante o tamanho (em MB) do ficheiro;
  4. Programa de otimização: após a exportação anterior deverá tentar otimizar ainda mais as imagens com um programa de otimização como o ImageOptim (para Mac) ou o FileOptimizer (para Windows). Estes programas não reduzem a qualidade das imagens apenas removem informação desnecessária para publicação na Web. Por exemplo, as imagens neste artigo foram otimizadas com o  ImageOptim e observou-se uma redução de quase 60% do tamanho total:

9. Teste o Site

Para terminar deixo alguns links para sites que permitem diagnosticar a performance e a qualidade do seu site WordPress:

Por exemplo, ao testar uma das páginas deste blog com a ferramenta GTmetrix os resultados foram os seguintes:

Em termos de performance o PageSpeed Score é de 100% e o YSlow Score de 94% estes são resultados bastante bons e muito difíceis de superar só possíveis com um tema desenhado e desenvolvido à medida nas necessidades deste blog, cuidado de não utilizar plugins desnecessários e com um serviço de alojamento web cloud de elevada qualidade. Blogs e sites com resultados semelhantes e conteúdo de qualidade serão privilegiados pelos motores de busca e terão, obviamente, mais visitantes.

Espero que este artigo seja bastante útil a quem está a tentar acelerar o WordPress. Atualizarei gradualmente o artigo com novas dicas e com o feedback dos leitores! Guarde-o nos seus favoritos e volte a ler mais tarde.