Orgulho Open-Source – Parte II

27 de Julho, 2015 | Linux, Open-Source, Programação, Software

Depois de alguma reacções ao post original, Orgulho Open-Source, senti a necessidade de esclarecer alguns pontos.

1. Open-Source = Mais Barato

Sim é. Mas não é gratuito. O problema é que as grandes administrações e departamentos de informática que fazem a mudança para open-source não o fazer por ser bom, fazem porque se criou o mito de ser grátis. O mesmo se aplica a pequenos pequenos clientes com discursos como: “Mas isso pode ser wordpress, linux etc que é grátis”.

O problema real é que estas pessoas não têm noção do trabalho que é necessário desenvolver por detrás das implementações open-source e depois as coisas correm mal.

2. Mudanças São Caras

Mudar para open-source raramente é uma ideia do departamento de informática, é sim uma resposta à administração a pressionar para cortar custos. Ou seja, não é uma tentativa de melhorar nada mas uma forma respeitar um pedido da administração.

Obviamente que um departamento de informática cujo o responsável pensa como descrito no ponto anterior não têm capacidade de implementar open-source correctamente.

3. Fraca Mentalidade

Repetidamente observo administrações com discursos como: “agora que migramos para open-source já está tudo feito só precisamos de metade dos programadores”.

Isto é um problema de mentalidade e causa muitas vezes o fracasso das migrações para open-source. Migrar não significa que podemos deixar de ter pessoas a trabalhar no software, significa que devemos ter pessoas competentes a adaptar o software às nossas necessidades, e preferencialmente a contribuir com essas alterações para os repositórios oficiais.

Mas a mentalidade, especialmente a Portuguesa, funciona entre as linhas de: “Não vou nada ter os meus programadores a dar código aos outros. Eu é que estou a pagar aos programadores, portanto é meu!”.

Isto é mau, muito mau, porque se todos pensassem assim o open-source não existia. É necessário entender que para continuar a ter software open-source de qualidade e poder cortar nos custos de desenvolvimento (aproveitando o que já existe) é necessário colaborar e partilhar melhoramentos nesses projectos.

4. Falta de Equilibro

Untitled

O mais chocante especialmente nos fanboys é não entenderem que as boas soluções e os melhores resultados são atingidos através do equilíbrio. É preciso entender que os sistemas proprietários e os open-source têm ambos o seu papel e pontos fortes e fracos.

Inteligente é aquele que sabe analisar esses sistemas e tirar partido do sistema mais indicado em cada contexto para conseguir, no global, melhores resultados com o menor investimento possível.