Motivando a Criatividade nas Organizações

9 de Fevereiro, 2016

CA @ ULusófona, Empreendedorismo, Psicologia, Sociologia

Esta publicação é um resumo do artigo “Motivating Creativity in Organizations: On doing what you love and loving what you do.” publicado por Teresa M Amabile na revista California Management Review; Fall 1997; 40, 1; pg. 39. São expostos diversos pontos que relacionam a criatividade com a motivação, como deverá ser o ambiente de trabalho ideal para a criatividade e que implicações isto tem na gestão moderna. Recomenda-se a leitura integral do artigo para uma visão mais completa do assunto.

Criatividade e Motivação

Criatividade: Produção de ideias apropriadas a um qualquer domínio de atividade humana. Deverão ser diferentes do que já existe, mas apropriadas os problemas / oportunidades. Este é o primeiro passo para a inovação. Aplicável a todos os ramos desde a ciência ao empreendedorismo, novos produtos, sistemas, anúncios etc. Melhores resultados quando as pessoas sentem que têm de fazer algo e não apenas querer.

Motivação Intrínseca: Evidências de que as pessoas são mais criativas quando estão intrinsecamente motivadas (gostos pessoais, ideias) e não extrinsecamente (recompensas financeiras). Têm como características:

  • Varia entre as pessoas;
  • Pesquisas apontam que o ambiente a influência;
  • Afeta a criatividade;
  • Não pode ser atingida por coação / responsabilização;
  • Recompensas que funcionem como pagamento reduzem a criatividade, como bónus podem ser motivadoras;
  • Normalmente o interesse intrínseco é proporcional aos níveis de criatividade atingidos.

Teoria dos Componentes da Criatividade Individual – TCCI

  • Focar as pesquisas sobre a criatividade nas pessoas criativas levou a entender os seus hábitos e personalidade mas é limitante — Não ensina as pessoas a serem mais criativas e ignora os efeitos do ambiente envolvente;
  • Em contraste, a TCCI defende que:
    • Todas as pessoas conseguem realizar trabalho criativo em algum domínio e tempo;
    • O ambiente social influencia a criatividade em qualidade / quantidade e frequência;
    • Existem três componentes para a criatividade:
      1. Conhecimento: Caminho cognitivo a ser seguido para resolver um problema, a extensão do domínio. Conhecimento técnico e experiência;
      2. Pensamento Criativo: Estilo psicológico favorável a pensar sobre novas perspetivas. Tolerância, tomar riscos e evitar validação social. Pode ser treinado aumentado a flexibilidade cognitiva;
      3. Motivação Intrinca: Razões intrínsecas para realizar uma tarefas. Geram trabalho mais criativo e definem o grau de persistência na execução e a capacidade de aplicação conhecimento + pensamento criativo. Alto grau de motivação poderá compensar falhas no conhecimento. Intrínsecas e Extrínsecas são normalmente antagónicas.
        Efeitos positivos quando: Intrínseca inicial é forte e saliente e existe reconhecimento e feedback construtivo. Efeitos negativos quando: Intrínseca fraca, controlo externo e constrangimentos. Controlar a motivação extrínseca é fundamental só nos casos em que a intrínseca é forte esta pode ajudar;

Ambiente de Trabalho para Criatividade: O ambiente de trabalho das pessoas relaciona-se de forma significativa com a criatividade no trabalho que produzem.

  • Fatores pouco influenciadores: Recursos, pressão (carga de trabalho), liberdade;
  • Fatores muito influenciadores: Desafios positivos, encorajamento organizacional, suporte do grupo de trabalho, impedimentos organizacionais;

As inovações de sucesso costumam partilhar as seguintes características:

  • Criação de fundos para investigação experimental;
  • Consideração formal das ideias inovadoras;
  • Estudos de viabilidade;
  • Consideram o marketing nos estágios iniciais do desenvolvimento das ideias;
  • Existe modelação / modificação das ideias antes da adoção final;
  • Monitorização e financiamento;
  • Implementação inicial em pequena escala das ideias.

Alterações no ambiente criativos durante eventos organizacionais significativos: A redução de pessoal afeta a criatividade e a produtividade já que mexe nas dinâmicas das equipas, piorando o ambiente. Deverá ser evitada ou bem explicada, informada com antecedência e realizada de forma progressiva para minimizar os efeitos nocivos melhorando a resposta das pessoas. Ações de team-building podem ser necessárias para solidificar as novas equipas com menos elementos ou restruturadas de forma a voltarem a atingir os mesmos níveis de produtividade e criatividade.

Teoria dos Componentes da Criatividade e Inovação nas Organizações

Capturar todos os elementos que influenciam significativamente a criatividade e inovação nas organizações. Considera a TCCI como base. Ambiente de trabalho > Criatividade individual > Fonte primária de inovação nas organizações. Existem três componentes essenciais:

  1. Motivação Organizacional para Inovar: Importante o valor colocado na inovação, tomar riscos, orgulho dos membros no seu potencial e resultados, comunicação aberta de informação e ideias, reconhecer o trabalho criativo. Evitar: Criticismo, controlo, competição interna, estruturas formais;
  2. Recursos: Tempo, recursos humanos, fundos financeiros, informação, definição de processos e formação;
  3. Praticas de Gestão: Relação projetos – indivíduos e as suas capacidades / gostos. Definir objetivos globais para projetos, mas dar autonomia procedimental. Suporte entusiasta da supervisão e ajuda em planeamento. Fomentar a confiança e a comunicação entre todos;

Implicações na Gestão

  • Gestão de motivação é importante e complexa, os gestores devem ser formados nisto;
  • Motivadores intrínsecos e extrínsecos só funcionam no contexto apropriado;
  • Imperativo dar às pessoas trabalho que condiz com as duas capacidades e expectativas, isto vai originar desafios positivos, criatividade e inovação. Maximizar os motivadores intrínsecos;
  • Orientação à inovação deverá ser constantemente comunicada a todos os níveis das organizações;
  • Novas ideias deverão ser geradas e geridas de forma construtiva. Evitar concorrência interna, conservadorismo, negatividade e criticismo;
  • Grupos de trabalho constituídos por pessoas com valências diferentes. Líderes que vejam os objetivos globais mas dê autonomia operacional. Deverão apoiar com informação útil e ajuda de planeamento;

Sumario

  • Fazer o que gostamos: Trabalho de acordo com as competências e gostos pessoais;
  • Gostar do que fazemos: Procurar ambiente de trabalho que permita manter as motivasse intrínsecas e explorar novas ideias.